marketing humanizado

Você já ouviu falar em Marketing Humanizado? As marcas são feitas por seres humanos, então por que às vezes sentimos que a comunicação de marketing são tão robóticas? A diferença entre um marketing que damos importância e aquele que é facilmente esquecível é a capacidade de criar uma marca sensível ao consumidor, relacionável e humanizada para criar uma conexão emocional com o público.

O marketing mudou! É nítido vermos muitas empresas investindo em criar ambientes, sensações, sentimentos e estilos de vida para quem consome seus produtos e serviços. E isso tem se tornado um fator decisivo no momento de compra. Os consumidores dessa geração estão mais exigentes e difíceis de agradar. Ele precisa sentir-se fazendo parte de um grupo seleto. O produto ou serviço precisa garantir a ele algo além da própria função.

Quando começamos a integrar a tecnologia em nossas vidas cotidianas, o surgimento das mídias sociais tornou cada vez mais popular, permitindo nos conectar com nossos amigos e familiares, mesmo ao estar a centenas de quilômetros de distância. Como seres humanos, nós ansiamos por atenção e interação e as mídias sociais tornam incrivelmente fácil.

As redes sociais se tornaram o grande estopim do marketing humanizado. Afinal, marketing não é algo que você faz nas pessoas. É algo que você faz para as pessoas. E mais: o marketing é algo que você deve fazer pelo indivíduo em vez de pelas grandes massas.

O que significa marketing humanizado?

 

Mas ainda precisamos responder à essa pergunta: “o que significa marketing humanizado?”

Humanos se conectam, se relacionam e confiam em outros humanos.

Se alguém não confia em você, é provável que fará negócios? Claro que não. É por isso que fornecer rostos e nomes para demonstrar que sua marca vai muito além de uma máquina lucrativa é imensamente importante, o que torna seu marketing muito mais humanizado.

Afinal, seus clientes são humanos. Seus parceiros são humanos. Seus funcionários são humanos. Até mesmo seus fãs e seguidores de mídias sociais são seres humanos.

Algumas empresas se destacam em vincular sua marca às pessoas por trás dela, tornando-a relacionável e memorável para o público. Mas outros se restringem a um ambiente sem rosto, frio e corporativo, onde uma voz de marca monótona é utilizada em todos os canais. Assustador…

Como profissionais de marketing, você está tentando ganhar tráfego, gerar leads qualificados, cultivar esses leads em clientes, reter esses clientes e aumentar a receita, mas esqueça essa mentalidade lucrativa por um momento. Como você se sente quando navega pelo site da sua empresa?

E quanto aos canais de mídia social e campanhas de email marketing? Todas as mensagens que você está enviando são puramente promocionais? Você já parou para pensar que sua marca poderia ser mais bem-sucedida se você parasse de impulsionar apenas o conteúdo pesado de vendas e começasse a comercializar como uma PESSOA REAL?

Isso é marketing humanizado.

O primeiro passo para o marketing humanizado é a sensibilidade com o consumidor

 

O primeiro passo para se tornar um negócio mais humano é a sensibilidade com o consumidor, estabelecer valores e compromissos organizacionais orientados para o cliente.
É uma maneira de dizer aos consumidores: “Estou ouvindo. Eu sei o que você quer, eu sei o que você precisa, eu sei o que você gosta e eu estarei com você em cada passo do caminho”.

Para isso, uma poderosa estratégia de regionalização faz toda a diferença. Afinal, cada canto do Brasil possui suas particularidades e se você quer falar diretamente com o seu público, é necessário que a comunicação seja regional, simples e direta.

Seu público quer ver você, ouvir você e entender você. Eles querem que você os inspire a se conectar e interagir com você. Eles querem que você os ajude a alcançar suas metas e objetivos. Eles querem conteúdo relevante e conversa que os faça pensar. Eles querem inspirar para fazer diferente, fazer melhor e ser melhor.

Existem cinco regrinhas básicas para você humanizar o seu marketing e se conectar emocionalmente com o seu consumidor:

1. Imagine sua marca como um personagem fictício

Se é de marketing humanizado que precisamos, sua marca precisa de uma voz humana e de uma personalidade. Mas é difícil atribuir essas qualidades a um logotipo ou a um nome corporativo. Em vez disso, tente atribuí-los a uma estrutura pessoal real. Invente um personagem fictício que representa a sua marca e elabore todos os detalhes.

Quem é essa pessoa? Qual o nome deles? Como eles se vestem? Qual é a comida favorita deles? Quais são seus gostos e desgostos? Eles são agitados ​​ou calmos? Formal ou casual? Essas perguntas ajudarão você a imaginar uma personalidade real para servir como avatar da sua marca, e a partir daí é fácil entrar nessa mentalidade.

Esta é a melhor maneira de humanizar sua marca quase literalmente.

Um bom exemplo de marketing humanizado é a Netflix. A comunicação em redes sociais, e-mail e demais meios digitais é sempre muito humana, como se a Netflix realmente fosse uma pessoa. Acompanhe eles nas redes sociais e você saberá do que estou falando.

2. Pare de agendar mensagens de mídia social

Ferramentas de agendamento de mídia social são uma mão na roda. Eles tiram um pouco da pressão, permitindo que você escreva e agende as postagens antecipadamente. Você nunca precisa se preocupar com espaço morto ou feed vazio, mas ao mesmo tempo, você se distancia do seu público, gerando o efeito contrário ao do marketing humanizado.

Você pode dedicar tempo a mensagens casuais e pessoais, mas se você às estiver fazendo antes do tempo, as pessoas provavelmente perceberão. Em vez disso, confie nas suas habilidades para reagir às coisas no momento – você será naturalmente mais humano e seus usuários perceberão a diferença. Ele vem com mais pressão e um compromisso de tempo maior, mas vale a pena, especialmente para plataformas mais rápidas, como o Twitter.

3. Envolva-se em conversas

Pessoas conversam! O ser humano é uma criatura sociável. Se você quiser ter um marketing humanizado, não basta postar anúncios para seus usuários, é preciso envolvê-los em uma conversa. Pergunte a eles o que eles gostam e o que eles querem ver. Se eles disserem que gostam de uma das suas postagens, agradeça-os. Se você vir os membros do seu público comentando em um tópico externo, entre na discussão. Isso mostra que você está prestando atenção e se preocupa com mais do que apenas um lado da conversa.

Quanto mais você se envolver com seus usuários, maior será a probabilidade de eles virem você como uma entidade pessoal e confiável. Mais uma vez, isso requer mais trabalho; é mais fácil sentar e jogar um monólogo extenso. Mas quando você se envolve com indivíduos, você ganhará instantaneamente a lealdade desses indivíduos.

4. Seja engraçado

Essa é uma característica forte de um marketing humanizado. O humor tem um jeito primordial de nos conectar. Quando rimos juntos, derrubamos paredes e nos relacionamos – é por isso que estamos mais propensos a rir quando estamos cercados por pessoas de quem gostamos do que quando estamos sozinhos. Quando você faz seus usuários rirem, você mostra a eles que não se leva muito a sério.

Você mostra a eles que você gosta de humor assim como o resto de nós, e que você não tem medo de deixar de lado o profissionalismo formal de sua marca por apenas um momento para experimentar um momento humano. Obviamente, o tipo e a adequação do humor que você usa dependerão de sua marca, mas o humor autodepreciativo e as referências explícitas funcionam especialmente bem para o público.

5. Esteja perto e presente

Pessoas odeiam não conseguir falar com as empresas. É preciso configurar mecanismos de feedback e interação com o usuário em vários pontos da experiência do cliente. Mantenha-o perto, relevante, rápido e fácil. Pessoas querem ser ouvidas, respondidas e, principalmente, terem seus problemas resolvidos.

Um marketing humanizado não mede esforços para atender cada cliente com sensibilidade, estando a disposição para tirar todo o tipo de dúvida, da mais simples a mais complicada, e resolver problemas.

Uma excelente estratégia de regionalização faz toda diferença neste tópico. Ser regional, presente, perto é a tendência que toda empresa precisa seguir se quiser continuar relevante nos próximos anos.

Quanto mais você mostrar o seu lado humano, mais provável é que os consumidores estejam dispostos a se conectar com você e se tornarem seus promotores. Basta começar a lidar com eles com sensibilidade, como seres humanos que eles são, e não como cliques e dados de vendas!

O importante papel dos influenciadores digitais no Marketing Humanizado

Como vimos no início do artigo: o marketing mudou! E quando dizemos isso não é uma comparação com 20 anos atrás, mas de apenas cinco. A revolução digital tem dado pulos exponenciais e crescido absurdamente. Uma nova geração de consumidores têm surgido e as empresas precisam acompanhar o passo.

De um tempo para cá, as empresas começaram a usar os influenciadores de mídia social e os programas de afiliados para ganhar atenção no espaço do comércio eletrônico. Muitas marcas estão gastando centenas de milhares de reais em parcerias pagas com influenciadores… mas por quê?

Os influenciadores de mídia social têm milhões de seguidores porque se conectam e se tornam amigos on-line com seu público. Influenciadores em si podem ser considerados um “produto” ou “marca”, com o objetivo de se vender para o mundo. Eles fizeram isso adicionando um aspecto emocional aos seus posts. Os seguidores começam a confiar e apoiar esses influenciadores e, portanto, seus instintos.

Influenciadores digitais são uma arma poderosa para comunicar-se regionalmente. Como 92% das pessoas confiam nas recomendações da família e dos amigos, elas tendem a confiar em seus ídolos on-line, principalmente as celebridades regionais. Essas possuem influência multiplicada quando divulgam algum produto ou serviço para a sua região de origem. Então, quando os influenciadores recomendam certos produtos ou serviços para seus seguidores, eles seguem.

Conclusão

Quando você dá à sua marca um caráter mais humano, você está usando seu marketing para causar um impacto maior e gerar mais negócios. E essa coisa de Marketing Humanizado é uma exigência, não uma opção se você quiser sobreviver nos negócios hoje. Sim, você pode colocar a o marketing humanizado em standby. No entanto, todos os dias que você perde é um dia em que você poderia estar construindo relacionamentos, cultivando amizades, estabelecendo e ganhando o respeito de influenciadores poderosos.

Não espere. A hora é agora.

Walter Ziebarth

. Walter Ziebarth