Como investir em marketing digital local

Por março 16, 2018 julho 11th, 2019 Marketing

A revolução digital e móvel criou um novo e poderoso mundo: o marketing digital local. A era digital está fazendo com que o mundo encolha, nos tornando hiper-conscientes do mundo que nos rodeia. Dito de outra forma, o aumento dos telefones celulares e a conectividade digital aumentaram as expectativas dos consumidores de entender seus arredores.

As pessoas esperam saber tudo o que acontece perto deles, e usam seus dispositivos móveis para ver absolutamente tudo, desde a sua localização física, clima, hora do dia, conversas, atividades de amigos, restaurantes e lojas nas proximidades, até o inventário local.

Por outro lado, as próprias marcas têm acesso a essa informação. Têm o poder de alcançar clientes potenciais em um momento de necessidade. Ao usar essa informação do consumidor – localização, interesses, etc. -, além do histórico de navegação, hábitos de clientes similares e dispositivos que eles estão usando. Ser capaz de aproveitar esse poder significa estar pronto para isso.

Então, vejamos quatro ajustes que toda empresa que busca sucesso digital precisa fazer para aproveitar a oportunidade do marketing digital local.

1. Medir o tráfego online para offline

Antes disso, o rápido crescimento do marketing digital não forçava as marcas a se preocuparem com o “click-to-brick” (o quanto seus esforços digitais estão direcionando as vendas na loja), eles concentraram-se em otimizar as conversões online.

No entanto, agora que o uso de dispositivos móveis superou o uso da área de trabalho, as marcas estão descobrindo que buscar apenas as vendas on-line dá-lhes apenas uma parte do todo – especialmente considerando o comércio eletrônico representar apenas cerca de 5% de todas as transações de varejo.

Isso significa que anúncios móveis ou experiências não estão dirigindo as vendas? Claro que não! As marcas apenas precisam de uma maneira diferente de medir.

O “click-to-brick” pode ser medido de várias maneiras, desde medições na Google AdWords Store Visits até geofencing para integrações de CRM. O método adequado para sua empresa vai depender de diferentes fatores. Mas não importa o que você escolher, medir o tráfego do consumidor online para offline é fundamental.

2. Certifique-se de que você é compatível com dispositivos móveis

Ter um site amigável para dispositivos móveis não é mais diferencial; é necessário! O Google mesmo criou uma ferramenta para testar seu site para ver se ele é compatível com dispositivos móveis.

Além disso, os dados mostram diretamente que os sites compatíveis com dispositivos móveis são mais propensos a aparecer nas principais posições de busca orgânica.

A busca é como as pessoas o acham. E como as pesquisas móveis compõem a maioria do tráfego, você está perdendo o maior segmento de consumidores se você não estiver disponível para celular.

Precisa de mais provas? Tome nota do crescimento de mais de 70% nas buscas “perto de mim”, o que é mais um motivo do porquê sua marca deve se concentrar em marketing digital local.

3. Experimente a sua marca localmente

Você já fez uma pesquisa em relação a sua própria marca? Ou seguiu as contas do seu Facebook, Twitter ou Instagram da sua marca? E acompanhar os comentários sobre a sua empresa, já fez isso?

Se você imagina que essas são práticas meio obvias, saiba que a maioria dos “marketeiros” não fazem isso. Ficam apenas pensando em estratégias de como alcançar o público certo, calculando budget e ROI, mas esquecem de sair da “sala de comando”.

Faça a seguinte busca no seu celular: “restaurantes de fast food perto de mim”. Você poderá ter informações muito úteis com o resultado. Com certeza você encontrará lugares que, ou não são de restaurantes fast food, ou não estão relativamente perto de você.

É possível que esses anúncios ainda seja válido se houver conversões; no entanto, se as marcas tivessem tivessem feito um bom trabalho de marketing digital local, talvez teriam resultados mais precisos e, com certeza, não estariam investindo dinheiro em aparecer numa busca que não tem relação direta com a empresa.

Você também conseguirá observar a qualificação desses restaurantes. Será que os responsáveis estão conscientes dessas classificações? Eles estão fazendo alguma coisa para aumentar a pontuação? Estar ativamente envolvido no feedback dos cliente é algo que pode ser muito poderoso, e é bastante rentável.

4. Personalize anúncios locais com base no contexto

Com o aumento do uso do celular, os consumidores esperam que as empresas compreendam seu contexto situacional e proporcionem uma experiência relevante com base nesse contexto.

Alguém que procura por “tênis de corrida” às 18 horas em um desktop provavelmente está apenas navegando e comparando preços; Agora, pense em alguém que faz a mesma pesquisa em horário comercial através de um celular a poucos metros da sua loja de calçados.

Poucos anos atrás, os anunciantes tinham acesso apenas ao termo de pesquisa para entender o contexto do consumidor. Hoje, informações móveis e locais oferecem aos anunciantes muito mais dados. O Facebook, por exemplo, permite às empresas locais criarem e lançarem anúncios contextuais locais para gerar tráfego com base em consumidores próximos.

É possível também criar um conteúdo de anúncio dinâmico exibido com base no clima. Além disso, a maioria dos planners de mídia programática permitem a segmentação por localização, tempo, interesses e compras passadas.

O Google Now e o Apple iOS oferecem aos consumidores conteúdo de notícias, alertas de trânsito, partidas esportivas e outros “cartões” com informações relevantes para sua localização e contexto ao seu redor. O Google AdWords permite que as marcas incluam inventário local em anúncios de compras.

Sem dúvida, o mundo evoluiu; agora é um mundo móvel primeiro. Com essa evolução vem uma abordagem totalmente nova ao marketing. Para que as marcas o façam corretamente, é necessário um verdadeiro entendimento do marketing digital local e uma mudança de foco longe de apenas dados demográficos.

Walter Ziebarth

. Walter Ziebarth